O que fazer em Quito, Equador


capa-capital-quito

Quito a capital do Equador e também a mais conhecida como a cidade da Metade do Mundo! Distribuída como uma linguiça, é possível caminhar de leste a oeste, sem maiores esforços, mas a distância norte-sul é enorme. 

Chegamos em Quito após já ter rodado por alguma cidades do país. Passamos por Guayaquil, Cuenca, Baños e Lasso – para conhecer o vulcão de Quilotoa, para finalmente desembarcamos, de ônibus, na capital equatoriana.

Viajamos sempre por terra, com ônibus, e cada lugar é uma aventura diferente. Por aqui alguns motoristas são mais ousados que outros, sem falar das estradas pelos vales e serras. Eu sempre passo mal com muitas curvas, quando checo a rota que faremos e vejo que o caminho não é muito reto eu já tomo logo meu remédio para enjoo. Se a viagem for longa prefiro daquele tipo que dá sono, pois me ajuda a dormir. 😉 

A cidade possui uma boa rede de ônibus, e por lá nós usamos e abusamos. Não utilizamos taxi ir ou voltar de nenhum lugar. Os corredores exclusivos facilitam muito o caminho, além de ser mais organizados para quem esta pela primeira vez na cidade. Independente de quantos pontos andar, o valor era de US$0,25; acho que uma vez tivemos que sair e entrar de novo, tipo baldeação, e foi preciso pagar uma nova passagem. 

Leia mais aqui sobre nossos custos no Equador

Onde ficar

Por conta do nosso trabalho – fotografar hospedagens -, ficamos em dois lugares diferentes na cidade.

O primeiro foi o hostel El Hostelito. O lugar é nem aconchegante, e serve café da manhã (cobrado a parte), mas possuí cozinha, caso você queira preparar suas própria refeição. O mais interessante aqui são as camas, chamadas de “Pods”, não apenas para 1 pessoa, mas também para casais. Isso mesmo, quartos compartilhados com camas de casal. Cada cama possui tomadas e luz individuais e uma cortina para dar mais privacidade. 

O segundo local de trabalho e também nossa hospedagem por alguns dias foi o La Casona de Mario. O dono é um simpático argentino, ele faz e vende excelentes empanadas. O casarão tem um clima bem familiar, como se você estivesse na casa de um amigo, há uma cozinha pequena, mas bem completa que você pode utilizar sempre. 

Se interessou? Leia aqui Como ganhar dinheiro Viajando

O que fazer

Logo que chegamos em Quito tinhamos certeza do primeiro lugar que gostaríamos de visitar, seria como um marco em nossa viagem e também na vida! Nossa primeira vez no hemisfério norte, na Mitad del Mundo. <3 

O parque Mitad del Mundo fica um pouco fora da cidade, mas chegamos lá de transporte público. Saimos da nossa hospegagem, o El Hostelito, e caminhamos até a Estación Seminario Mayor para pegar um ônibus (sentido norte) até o Terminal La Ofelia –  último ponto. 

Chegando no terminal foi fácil, há placas que indicam qual ônibus pegar sentido Mitad del Mundo, esses ônibus custou US$0,30 por pessoa/o trecho. Se ficar com dúvida de onde descer, é só falar com o cobrador e ele te avisará. 

A entrada ao Parque Mitad del Mundo, com todos os acessos inclusos, custou US$7,50. 

Leia aqui mais sobre a Mitad del Mundo

TelefériQo foi outro passeio bem legal que fizemos, é uma excelente opção para ver a cidade do alto e, em um dia sem nuvens, é possível ver os muitos vulcões que há na região.

Sem contar que esse é o teleférico mais alto do mundo, ele sai de 3.110m e chega até quase 4.000m de altitude. O ingresso de ida e volta custou US$8,50 por pessoa.

Também fomos de transporte público, não foi difícil, perguntamos no hostel qual ônibus pegaríamos para chegar na Av. Cristobal Colon e pedimos ajuda do cobrador para descer próximo ao acesso de entrada do teleférico. No pé da montanha há um micro-ônibus que leva até a entrada do teleférico, não precisa fazer como nós e subir a pé! hehehe

O Marcos é fissurado em futebol! Sempre que dá e tem um jogo legal rolando, nos vamos! E por aqui não poderia ser diferente. Assistimos um jogo da L.D.U vs. Universidad Católica – contamos melhor aqui como foi. Fomos e voltamos de ônibus, foi bem tranquilo. Mas confesso que não há torcida igual a nossa, brasileiros, mas não deixa de ser uma experiência diferente em outros países.

Ah, outro destino bem comum para os turistas que chegam a aqui é ir conhecer o Vulcão de Quilotoa, distante menos de 200km da capital. Há várias agências de turismo que oferecem os serviços. Nós fomos lá desde a cidade de Lasso e contamos aqui como foi.

Onde Comer

O que não faltou foram opções para comer e comer bem. O cardápio do Equador, no geral, não é dos meus preferidos – confesso que me apaixonei pela culinária peruana-, mas tem pratos deliciosos. Aqui eu conto mais sobre as delícias do Peru.

Próximo ao hostel El Hostelito, na Plaza José Navarro há diversas barracas que vendem comida típica equatoriana. Eles começam por volta das 17h, todos os dia. Comida barata e gostosa, vale a pena passar por lá. Outro opção para um jantar ou almoço, bem perto do hostel, é o El Corral, um rede de hamburguerua colombiana. 

Próximo ao La Casona del Mario tem outras deliciosas opções como o Frida Tacos, que possui uma boa variedade de tacos e uma carta de cervejas bem interessante. 

Por falar em cervejas, na mesma rua (Calle Andalucia) que o Frida, esta o Santa Rosa Cerveja Artesanal. Muitas opções de cervejas locais. O bar é bem simples e não há opções do que comer, mas vale a ida para degustar algumas cervejas, e o ambiente é bem agradável. 

Uma das regiões mais conhecidas e visitadas pelos turistas é a Plaza Foch. point dos turistas e moradores jovens de Quito.  também é um bom lugar para se hospedar. Para comer há de tudo, desde fast-food até restaurantes e bares mais bacanas. O que mais nos indicaram para ir foi o Republica del Cacao e Fried Bananas.

Mapa de Quito

Quando fomos
Outubro 2016

Cau

Brasileira, 30 anos, formada em Marketing. Apaixonada por viagens e tudo que um novo mundo pode proporcionar. Gosta de esportes de aventura. Se aventura também na diagramação dos guias do ViVeVi.

Sem comentários

Adicione o seu

Booking.com