Seguro Viagem para viajantes


Capa Seguro de Viagem (Foto: Sotck.Xchng)

Vai viajar sem um seguro viagem? Tem certeza? Muitos países não disponibilizam o sistema de saúde interno a viajantes, isso ocorre principalmente por que o paciente não poderia ser cobrado por um eventual tratamento.

Devido a isso, os viajantes às vezes se veem obrigados, a contratar algum serviço que lhes apoiem caso algo aconteça. Isso também serve para quem quer apenas se prevenir. Há diversas empresas que oferecem o serviço com cobertura internacional (mas não presente em todos os países).

Os países que que obrigam os viajantes a terem o seguro são: Alemanha, Áustria, Austrália, Bélgica, Cuba, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, EUA, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Itália, Irlanda, Islândia, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Romênia, Suécia e Suíça.

Da lista acima, poucos países não são da União Européia, que adotou tal necessidade em 2004 com o Tratado de Schengen. Em Cuba é possível contratar o serviço no aeroporto. Já para retirada do visto australiano é necessário apresentar o seguro na entrega dos documentos. Ter um seguro ao viajar aos EUA também é obrigatório e pode ser requerido ao desembarcar no país.

Aos adeptos, às vezes considerados radicais, do mergulho tem no DAN (Divers Alert Network) uma organização que oferece um serviço vital em casos de acidentes de mergulho, com uma linha de emergência que auxilia no encaminhamento dos acidentados para locais adequados de acordo com os sintomas.

Para os ainda aventureiros a World Nomads oferece dois modelos de seguro, o padrão e o radical, este último voltado para atividades e esportes ao ar livre. Para aqueles que estão mais expostos a eventuais acidentes. A cobertura é mundial, excluindo apenas o seu país de residência.

Outra informação interessante é que o Brasil possui acordo com oito países que permite aos filiados do INSS tenham assistência médica gratuita em hospitais públicos de Portugal, Espanha, Grécia, Itália, Uruguai, Argentina, Chile e Cabo Verde. Para tal é necessário ter o “Certificado de Direito à Assistência Médica Durante Estadia Temporária”, obtido no INSS. Mais detalhes aqui, mesmo após anos esse benefício continua pouco conhecido.

Quanto a proteção ao viajante, o mesmo deve conhecer a diferença entre seguro saúde e assistência. O primeiro permite que o turista seja atendido em qualquer lugar e pedir ressarcimento posteriormente enquanto o último, a empresa e o plano contratado define onde que o mesmo deva procurar auxílio. Num caso de emergência, num lugar desconhecido ou idioma diferente, o seguro pode ser determinante.

Pois o seguro morreu de velho, né?

Fontes:

Acordo previdenciário garante assistência médica no exterior;
DAN Brasil;
Viaje Aqui – Manual do viajante;
– World Nomads

o Farol

O dono da área, ilumina o caminho das viagens e reflete nossos princípios: Viajar, Ver e Viver.

Sem comentários

Adicione o seu

Booking.com