ISRAEL: Um país surpreendente


Se você ainda não conhece Israel sugerimos você ler o post abaixo onde nossa amiga, Elaine Gilli, contou um pouco da sua passagem por este surpreendente país.


“Durante minhas viagens pelo Brasil tive a oportunidade de conhecer vários israelenses, jovens que destinam parte da sua juventude a servir as forças armadas, sejam homens ou mulheres. Nesse período eles têm o hábito de juntar todo o dinheiro que ganharam com o serviço militar para viajar o mundo por meses, antes de voltar para seu país e ingressar em uma universidade ou no mercado de trabalho. E não foi só a vontade de conhecer os caminhos que Jesus percorreu que me fez visitar Israel, foi o desejo de conhecer o país dessas pessoas bonitas, animadas, sem uma fisionomia característica que tem uma realidade cultural muito diferente na nossa.

No meio do Oriente Médio, Israel é o país mais liberal daquela região, andando pelas ruas é possível encontrar o mais diversificado público, seja pela orientação religiosa, seja pela orientação sexual. Por estar no meio de países em constantes conflitos como Síria e Líbano, é comum encontrar pelas ruas soldados armados até os dentes, é comum ver o espaço aéreo ser monitorado o tempo todo, mas também é comum, ver no fim de tarde, pessoas saírem do trabalho e se exercitarem na praia e arredores de Tel Aviv.  Jovens aproveitando as noites em bares em Jerusalém.

Soldados na cidade velha em Jerusalém (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Soldados na cidade velha em Jerusalém (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

As pessoas se exercitando na orla em Tel Aviv (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

As pessoas se exercitando na orla em Tel Aviv (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Dias antes da minha viagem perguntei ao meu amigo Oded, que mora em Haifa, como as pessoas se vestem em Israel, com elas vão à praia, afinal, não queria pagar nenhum mico ou estar muito fora da realidade do país, ele riu e me respondeu: Ué, as meninas vão à praia como em qualquer lugar, de biquíni. Eu me senti envergonhada pela pergunta e foi quando eu descobri que eu não sabia nada sobre Israel.

Jantar com meu amigo Oded e sua namorada (atual esposa) e minha amiga de viagem, Solange (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli).

Jantar com meu amigo Oded e sua namorada (atual esposa) e minha amiga de viagem, Solange (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli).

A língua oficial lá é o hebreu, mas em quase todos os lugares temos informações também em árabe e inglês, mas como Israel ainda vive em um regime separatista entre Árabes e Judeus, recomendo visitar o país com uma agência especializada. Hoje é possível encontrar os mais variados roteiros; dos religiosos aos de aventura e com guia local falando em português (muito interessante). Quando fui pesquisei muito os roteiros da agência New Age, mas acabei comprando o pacote com uma amiga da Tur Alternativo.

O roteiro que eu fiz chamava-se Israel para Todos, isso significa que fui em sinagogas, igrejas, visitei  lugares que são sagrados para católicos, judeus, evangélicos…, isso é muito interessante, engrandece muito o conhecimento.

Uma experiência única em Israel é se hospedar em um Kibutz, comunidade criadas em Israel  onde pessoas vivem em igualdade social, de propriedades coletivas e de meios de produção próprios, com foco na educação das crianças.

Sinalização em Jerusalém (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Sinalização em Jerusalém (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Uma excelente época para visitar o país é durante a primavera, onde é possível ver as cidades floridas e as temperaturas apesar de quentes, não são as mais altas. Um casaquinho a noite cai bem. O país é pequeno, se tiver oportunidade, recomendo ficar no mínimo 10 dias, assim dá para visitar o país de fora a fora.

A comida por lá é farta e bem variada, é possível comer bem e pagar um preço justo (tem McDonald’s, caso interesse). Se for com agência de turismo, recomento optar pelo pacote com refeição inclusa, vale a pena o custo benefício.

Uma viagem inesquecível é aquela que te emociona então, independentemente da sua religião, recomendo fortemente que visite os lugares santos, eles são cheios de história, nesses lugares é possível compreender como católicos, judeus, árabes entre pessoas de tantas outras religiões convivem juntas. É possível sentir na pele a cultura do país e querer ficar ali por mais um tempo.

Em Jerusalém recomendo visitar:

– As 14 estações da Via Dolorosa (andar pelas ruelas cheias de gente, cada um rezando ou cantando em sua língua, é impossível não tentar imaginar como teria sido na época de Jesus, nesse momento as lágrimas caem por si só, impossível segura-las);

– A Igreja da Flagelação, a Capela da Condenação, o Calvário e o Santo Sepulcro (esse que se imagina ser o lugar mais santo e silencioso do planeta deixa a desejar, a multidão esquece onde está e faz com que um momento que deveria ser tão especial, um momento tenso);

– O Monte das Oliveiras (vista panorâmica da cidade), o Horto de Getsemani e a Basílica da Agonia;

A imagem mais famosa da cidade, vista do Monte das Oliveiras (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

A imagem mais famosa da cidade, vista do Monte das Oliveiras (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

– O Muro das Lamentações, nesse lugar vemos nitidamente o fervor das pessoas, e aqui também vemos como as mulheres são diferenciadas dos homens. Esse é um lugar que deve ser visitado durante o dia e durante a noite, é um dos lugares mais emocionantes de Jerusalém.

Muro das Lamentações durante o dia (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Muro das Lamentações durante o dia (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Muro das Lamentações durante a noite (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Muro das Lamentações durante a noite (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Visitar na Galileia – Nazaré:

– Monte das Bem-Aventuranças, lugar do Sermão do Monte;

– Tabgha, lugar do milagre da multiplicação dos pães e dos peixes.

– Cafarnaum para visitar a Antiga Sinagoga e a Casa de Pedro.

– Yardenit, onde fica o Rio Jordão, lugar de batismo de Jesus, ter a oportunidade de simular o batismo nas águas desse rio é muito emocionante.

Rio Jordão, onde ocorreu o batismo de Jesus (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Rio Jordão, onde ocorreu o batismo de Jesus (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

– A Basílica da Anunciação onde Maria soube que daria a luz ao Menino Jesus, a Carpintaria de José e a Fonte da Virgem.

Em Belém visitar a Basílica da Natividade, onde Jesus nasceu.

Além dos lugares santos, Israel tem lugares lindos e surpreendentes como o Santuário Bahai e os Jardins Persas em Haifa, o Museu do Holocausto em Jerusalém (o mais completo e arrepiante que eu já fui quando o tema é esse), o antigo Teatro Romano em  Cesaréa na Galileia, mas um lugar que deve ser visitado sem falta é Massada, cidade no meio do deserto, com paisagens paradisíacas, onde é possível visitar a fortaleza de Herodes e tomar banho no famoso Mar Morto.

Santuário Bahai e os Jardins Persas em Haifa (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Santuário Bahai e os Jardins Persas em Haifa (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

 

Teatro Romano em Cesaréa (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Teatro Romano em Cesaréa (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

 

Teleférico para a subida à fortaleza de Herodes e ao fundo, o belo Mar Morto (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Teleférico para a subida à fortaleza de Herodes e ao fundo, o belo Mar Morto (Foto: Arquivo pessoal Elaine Gilli)

Além disso, sugiro reservar um tempo para passar curtir a praia em Tel Aviv, andar pela orla de fora a fora, onde em uma ponta temos uma Marina onde tem vários restaurantes gostosos, na outra ponta temos porto de  Yaffo onde fica a cidade velha. Além disso, ao longo da orla temos parques, museu.

Andar pela cidade, visitar a Rua Dizengoff onde abriga muitas lojas, bares,  restaurantes e um shopping o qual quando resolver entrar e sair, vai perceber que  será revistado com detector de metal, a coisa mais normal por lá, para nós um tanto quanto estranho.

Em Jerusalém recomendo passear pelas ruas da cidade velha sem destino e percorrer as ruelas do mercado árabe, excelente local para comprar várias coisas interessantes, inclusive os famosos presentinhos para a família e amigos.

O aeroporto de Israel é o mais “seguro” e “crica” que já vi em toda minha vida, chega a ser tenso e  irritante, acredito que dali não entra ou sai bomba nenhuma, brincadeiras a parte, kkk, eles são bem rigorosos quanto ao destino do passageiro, a bagagem e tudo que possa ser suspeito.

Esse é um site super legal em português,  que tem todas as informações para quem quer visitar Israel:  www.goisrael.com.br eu recomendo que visitem sim, estando lá podem aproveitar para visitar a Jordânia, quem foi disse que vale a pena. Quando decidir pela viagem, sempre ficar atendo as notícias do país, se tiver algum conflito nos países vizinhos a viagem está garantida, mas se algo estiver acontecendo em Israel, melhor aguentar a ansiedade e prorrogar um pouco.

Bem, esses são alguns comentários sobre a minha inesquecível passagem por Israel, espero que aproveitem.”


 

Se você gostou do post e quer escrever o relato da sua viagem para nós é simples! Envie um email para nós em contato@viajarvereviver.com.br contando um pouco da sua experiência com todos.

o Farol

O dono da área, ilumina o caminho das viagens e reflete nossos princípios: Viajar, Ver e Viver.

2 comments

Adicione o seu

Adicionar um novo comenário

Booking.com